LOADING

Type to search

Destaque Mundo Cristão

Batistas rejeitam mulheres pastoras e confirmam expulsão de igreja

Share

Mensageiros da Convenção Batista do Sul votaram a favor de uma medida para impedir que as mulheres sirvam como “pastoras de qualquer tipo”, levando a denominação um passo mais perto de solidificar a regra como estatuto.

De acordo com The Christian Post, a proposta de emenda à constituição da SBC, liderada pelo pastor Mike Law, da Igreja Batista de Arlington, na Virgínia, foi aprovada na quarta-feira à tarde, após votação de mais de 12.000 mensageiros reunidos na reunião anual da denominação em Nova Orleans.

Sendo assim, a emenda foi aprovada por aproximadamente 80% dos mensageiros da SBC por votação. A nova medida estabelece uma condição para que as igrejas se afiliem à SBC: nenhuma mulher dentro da igreja teria permissão para ter o título de pastora. Segundo a Constituição da SBC, para que a emenda seja permanentemente incorporada à constituição, ela deve ser aprovada também na reunião do próximo ano.

“Proponho que a Constituição da Convenção Batista do Sul seja emendada para incluir um sexto item numerado no Artigo 3, Parágrafo 1, referente à composição. O sexto item numerado diria: ‘6. Não afirma, nomeia ou emprega uma mulher como pastora de qualquer tipo’”, disse Law do púlpito na quarta-feira.

Além disso, ele afirmou que não tem vergonha de 1 Timóteo 2:12 nem tememos o que a Bíblia ensina. A Declaração de Fé e Mensagem Batista 2000 da denominação afirma que “o cargo de pastor é limitado a homens qualificados pelas Escrituras”.

Desse modo, o Comitê Executivo da SBC endossou a recomendação de apresentar a emenda proibindo pastoras à convenção plena para votação. No entanto, o comitê recomendou explicitamente que os mensageiros votassem contra a emenda.

Por fim, a decisão ocorre poucas horas após os mensageiros votarem pela manutenção da exclusão da Igreja Saddleback, fundada por Rick Warren, da denominação devido à permissão da megachurch da Califórnia para uma mulher servir no cargo de pastora docente. A exclusão da Saddleback foi confirmada por 9.437 votos (88,46%) a 1.212 votos (11,36%), com 19 cédulas anuladas.

Antes da votação, Warren argumentou que os batistas do sul deveriam concordar em discordar sobre a questão das pastoras, enfatizando que a igreja concordava com tudo, exceto uma palavra, na doutrina da SBC: homens.

“Devemos remover igrejas por todo tipo de pecado sexual, pecado racial, pecado financeiro, pecado de liderança, pecados que prejudicam o testemunho de nossa convenção. Mas as 1.129 igrejas com mulheres na equipe pastoral não pecaram”, afirmou Warren.

Fonte: Gospel Prime

Foto: Robin Cornetet/Baptist Press

Tags:

You Might also Like

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *