LOADING

Type to search

Mundo Cristão

George Foreman, lenda do boxe, diz que conhecer Jesus é mais importante do que a fama

Share

Antes do lançamento de seu filme biográfico “Big George Foreman”, o boxeador peso-pesado que se tornou pastor George Foreman está refletindo sobre a fidelidade de Deus ao longo de sua vida histórica e compartilhando sabedoria com a próxima geração de crentes.

“Você chega a um ponto e percebe que a única coisa importante em sua vida é [ser] um evangelista”, disse o homem de 74 anos ao The Christian Post.

“’Evangelístico’ é a palavra que tem sido tão poderosa para mim em minha vida. Se algo me acontecesse amanhã… sei que fiz um bom trabalho e estou feliz por isso, tentando explicar ao mundo: ‘Jesus Cristo tornou-se vivo em mim’”.

Mas o caminho de Foreman para uma carreira de sucesso no boxe – e, eventualmente, o ministério – tem sido tudo, menos fácil.

Nascido em 1949 em Marshall, Texas, Foreman foi um dos sete filhos e teve uma infância problemática definida pela instabilidade, violência e pobreza. Depois de abandonar a escola na 10ª série, Foreman começou a abusar do álcool e a se envolver em crimes violentos nas ruas do Quinto Distrito de Houston.

Em 1965, ele trocou Houston pelo Job Corps, na Califórnia, um programa desenvolvido para ajudar jovens desfavorecidos, ensinando-lhes habilidades profissionalizantes. Foi lá que Doc Broaddus, que era conselheiro do Job Corps e treinador de boxe, encorajou Foreman a canalizar sua raiva por meio do boxe.

Foreman ganharia uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1968 na Cidade do México e acabou se profissionalizando. Ele venceu o invicto Joe Frazier em 1973, ganhando o título mundial dos pesos pesados. Ele perdeu esse título para Muhammad Ali no “Rumble in the Jungle” em 1974.

Em 1977, Foreman se aposentou do boxe depois que uma experiência de quase morte o levou ao Senhor. Ele lembrou como, em seu camarim em Porto Rico, ele entendeu a verdade do Evangelho pela primeira vez.

“Eu estava morto. Não sobrou nada de mim”, lembrou. “Fiquei olhando para o nada, sem esperança. Fui tirado deste lugar sujo e recebi uma segunda chance de viver. Isso me manteve com os pés no chão.”

Determinado a passar o resto de sua vida compartilhando o Evangelho, Foreman tornou-se ministro e, em 1980, fundou a Igreja do Senhor Jesus Cristo. No entanto, dificuldades financeiras obrigaram o ex-campeão a voltar ao ringue. Em 1994, ele se tornou o lutador mais velho a conquistar o campeonato dos pesos pesados ​​aos 45 anos, depois de derrotar o atual campeão Michael Moore no 10º round.

Divulgação do filme “Big George Foreman”

Foreman documentou sua notável história em seu livro de 2000, By George: The Autobiography of George Foreman. Agora, sua história é um grande filme: “Big George Foreman” estreia nos cinemas dos EUA em 28 de abril e é estrelado por Khris Davis como a lenda do boxe e Forest Whitaker como Doc Broadus. O filme é dirigido por George Tillman Jr. (“This Is Us”, “The Hate U Give”).

Foreman disse que queria que a fidelidade de Deus ao longo de sua vida – e as muitas pessoas que o orientaram e apoiaram – servissem como ponto focal do filme.

“Tantas pessoas me ajudaram na vida”, ele compartilhou. “Eu não sabia disso. Eu pensei que estava fazendo tanto… mas há tantas pessoas boas na minha vida.”

O atleta destacou a importância da mentoria na vida de um jovem, principalmente para aqueles em situações instáveis. Em 1984, ele fundou o George Foreman Youth and Community Center, um local não-denominacional para jovens que precisam de orientação como ele antes.

“Recebi tantos conselhos de tantas pessoas diferentes, e é uma questão de confiança”, disse ele. “Confie que as pessoas lhe darão conselhos. Ouça quando elas tiverem algo a lhe dizer. E acho que essa é a chave para todas as riquezas do mundo, é ouvir as pessoas que se importam com você.”

Mesmo nos momentos mais turbulentos de sua vida, Foreman disse que sabia que Deus estava presente, mas teve que passar por uma série de dificuldades antes de perceber o quão desesperado estava por um Salvador. Ele creditou as orações de sua mãe por mantê-lo vivo quando ele deveria ter morrido.

“Em retrospectiva, [a fidelidade de Deus] estava em toda a minha vida, ponto final”, ele refletiu. “Lá estava eu, um ladrão, a caminho da cadeia, debaixo de uma casa, escondido da polícia, cobrindo-me da cabeça aos pés com lama. Ouvi suas vozes e soube que teria que mudar as coisas. Eu não queria ser um ladrão. Eu não queria ser um criminoso. E isso foi uma grande mudança para mim. E claro, aprender a boxear e ir o mais longe que pude com o boxe. Mesmo assim, fiz tudo isso sem o conhecimento de Deus.”

Foreman se aposentou oficialmente do boxe pela última vez aos 48 anos. Ele ainda lidera sua igreja no Texas hoje e lançou quase duas dúzias de livros. Em 1994, ele lançou uma marca de churrasqueiras e, desde então, mais de 100 milhões de churrasqueiras George Foreman foram vendidas.

O atleta disse na entrevista que está grato pelo seu sucesso, mas acredita firmemente no poder de viver a vida à luz da eternidade. Ele compartilhou que o Salmo 1:1 orienta sua vida: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”.

“Não importa o que você consegue, o que você realiza nesta vida”, disse ele. “O mais importante é manter os olhos no verdadeiro prêmio, e isso é servir a Deus.”

“Encontre Deus, tenha fé em Deus”, acrescentou Foreman. “Não importa o que aconteceu, acredite que tudo é possível. Nunca desista da possibilidade e sua vida pode mudar e mudar para melhor.

O boxeador disse que espera que sua história inspire outras pessoas a perceberem que elas também podem mudar suas vidas e encontrar a redenção que é possível por meio da rendição.

“Eu olho para aquele filme, e ele conta a história de alguém vindo do nada e recebendo tudo o que é possível nesta vida”, disse ele. “E a melhor coisa que esta vida pode oferecer é a chance de vida eterna, encontrando Deus, e foi isso que eu encontrei.”

“Big George Foreman” chega aos cinemas dos EUA em 28 de abril.

Folha Gospel com informações de The Christian Post

Tags:

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *