LOADING

Type to search

Destaque Politica

General Heleno desiste de depor na CPI dos atos de 8 de janeiro

Share

O ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República general Augusto Heleno desistiu de prestar depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos atos de 8 de janeiro. A oitiva havia sido adiada para esta quarta-feira (19), na Comissão Legislativa do Distrito Federal (CLDF) a pedido do próprio general. Heleno, contudo, procurou o deputado distrital Chico Vigilante (PT), presidente da CPI, nesta terça (18), para avisá-lo da desistência.

Heleno explicou ter sido aconselhado por advogados para não depor. O general disse ao deputado distrital que suas falas poderiam colocar mais gasolina na fogueira. Por causa da desistência de última hora, a CPI não deverá ouvir ninguém nesta semana.

A CPI foi instalada na CLDF para apurar os ataques ocorridos na capital federal em 8 de janeiro. Manifestantes depredaram prédios públicos e invadiram o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso Nacional e a Presidência da República. Mais de 2 mil pessoas foram presas.

Heleno é peça-chave na investigação dos atos. O ex-ministro de Bolsonaro é apontado como o mentor intelectual da tentativa de golpe e suspeito de ser conivente com os extremistas. Chico Vigilante ainda acusa integrantes do GSI de ter participado da depredação no dia 8 de janeiro.

Na próxima semana, a CPI deverá ouvir a coronel Cíntia Queiroz de Castro, da Polícia Militar do Distrito Federal (MPDF). Também estão marcados para as sessões seguintes depoimentos de outros policiais e de empresários, bem como do general Gustavo Henrique Dutra de Menezes, então chefe do Comando Militar do Planalto durante as invasões em 8 de janeiro.

*AE

Tags:

You Might also Like

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *