LOADING

Type to search

Brasil Destaque

STF mantém ordem de prisão contra Torres por omissão

Share

Em decisão, nesta quarta-feira (11), o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a ordem de prisão emitida pelo ministro Alexandre de Moraes contra o ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres. Ele é acusado de se omitir no caso da invasão às sedes dos Três Poderes, em Brasília, no último domingo (8).

A detenção do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro (PL) foi solicitada pela Advocacia-Geral da União (AGU) logo após as depredações do Palácio do Planalto, Congresso Nacional e STF. Na ocasião dos atos, Torres estava de viagem nos Estados Unidos.

Moraes atendeu ao pedido da AGU, nesta terça-feira (10), considerando que houve “omissão dolosa e criminosa”. Para o magistrado, não se pode alegar “ignorância nem incompetência” em um “momento tão sensível da democracia brasileira”.

– Os comportamentos de Anderson Gustavo Torres e Fábio Augusto Vieira [ex-comandante da Polícia Militar do DF] são gravíssimos e podem colocar em risco, inclusive, a vida do presidente da República, dos deputados federais e senadores e dos ministros do Supremo Tribunal Federal – escreveu Moraes ao decidir pela ordem de prisão contra Torres e Vieira.

De acordo com o interventor federal Ricardo Cappelli, Torres viajou um dia antes de suas férias se iniciarem.

– Viajou, inclusive, sem estar de férias. As férias dele, publicadas no Diário Oficial, valiam a partir do dia 9. Então, no dia 8, o secretário de segurança pública do DF ainda era o senhor Anderson Torres. (…) É muito estranho que o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal assuma a sua função no dia 2, exonere e troque todo o comando, quase todo o comando da secretaria de segurança pública do DF e viaje, e alguns dias depois aconteça o que aconteceu aqui em Brasília. Isso é coincidência? – questionou, segundo informações do portal UOL.

O ex-ministro, por sua vez, afirmou que retornará ao Brasil a fim de defender-se das acusações e garantiu que a “verdade prevalecerá”.

– Tomei a decisão de interromper minhas férias e retornar ao Brasil. Irei me apresentar à Justiça e cuidar da minha defesa. Sempre pautei minhas ações pela ética e pela legalidade. Acredito na Justiça brasileira e na força das instituições. Estou certo de que a verdade prevalecerá – escreveu, em postagem no Twitter.

No plenário virtual desta quarta, o STF não apenas referendou a prisão do ex-ministro e do ex-comandante da PM, como também confirmou o afastamento do governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB) por 90 dias.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *