LOADING

Type to search

Brasil Destaque

Entidades repudiam lei de Combate ao Aborto aprovada em Palmas: “perseguição e coação”

Share

A Lei nº 2.779, de 5 de dezembro de 2022, que cria a “Semana Municipal de Combate ao Aborto” em Palmas, de autoria do vereador Rubens Uchôa (União) e sancionada pela prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB), resultou na fúria de mais de 170 entidades que são contrárias a pauta.

O autor da lei é cristão conservador, vice-presidente da Câmara e tem entre as suas pautas, a defesa da vida e da família.

REPÚDIO

No entanto, a lei agora sancionada na Capital, desagradou entidades de movimentos sociais, coletivos, setoriais partidários e organismos internacionais que emitiram nota de repúdio, pedindo a revogação da lei.

Entenda

A lei sancionada institui no calendário oficial de Palmas a ‘Semana Municipal de Combate ao Aborto’, a ser realizada anualmente na segunda semana do mês de maio, mês em que é comemorado o Dia das Mães.

Segundo a ONU, pelo menos 70 mil mulheres perdem a vida anualmente em consequência de abortos realizados em condições precárias. O risco de mortalidade relacionada com o aborto aumenta com a idade gestacional.

Veja na íntegra a lei sancionada pela Prefeita de Palmas -TO.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *